Blog Alex Ferraz Comenta Jornalismo Crítico

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Incompetência no trânsito


Em outro lugar teria sido resolvido na hora...

Transalvador, Via Bahia ou o acaso quase 48 depois do acidente com uma carreta em direção ao Acesso Norte, o veículo permanecia lá. 
Quem é o grande INCOMPETENTE, a Transalvador., que só sabe multar, ou a Via Bahia? Uma tragédia viver nessa cidade! Zorra!

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

O ORIENTE FERVE

TRUMP, JERUSALÉM E A VERDADEIRA HISTÓRIA

Tony Pacheco

A atitude do presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como capital do Estado de Israel, promete esquentar a já quentíssima arena internacional nos próximos meses. A maioria dos chefes de Estado do mundo preferia que Trump não tivesse feito isso, pois continuam a temer que os árabes voltem a usar o fornecimento de petróleo e o terrorismo como armas contra todo o planeta. Mas, antes de decidir se Trump acertou ou errou, temos que ver a História por trás da disputa por Jerusalém entre judeus, cristãos e muçulmanos. Quem, realmente, tem o direito histórico de reclamar a cidade?


CIDADE CONFLAGRADA

Os judeus pretendem que sua ocupação da região de Jerusalém remonta a 4 mil anos antes de Cristo, mas de histórico mesmo se tem que a cidade foi capital de reinos judaicos a partir dos anos 900 antes de Cristo, primeiro com Davi e depois com seu filho Salomão e daí por diante, sempre historicamente falando e não por tradição religiosa, as diversas tribos judaicas ocuparam Jerusalém e cercanias até 135 depois de Cristo.
Neste ano 135 d.C., o imperador Adriano, de Roma, resolveu punir os judeus por suas insistentes revoltas contra o Império Romano desde os anos 70 d.C. e finalmente os proibiu de morar em Jerusalém, expulsando todos os judeus da cidade e mudando seu nome para Aelia Capitolina, situação que perdurou até o século VII d.C., passando, inclusive, pelo período do imperador Constantino, de Bizâncio (hoje, Istambul), que manteve a tradição de proibir judeus na cidade e construiu ali os primeiros templos católicos (cristãos), como a Igreja do Santo Sepulcro.
É bom ressaltar que o imperador Adriano era ferrenho opositor dos judeus e dos cristãos, daí ter renomeado Jerusalém e até mesmo a região que passou a se chamar Palestina (“Palaestinae” ou Terra dos Filisteus, povo que combateu os israelenses desde sempre, os mais ferrenhos inimigos dos judeus). Adriano tentou e quase conseguiu ressuscitar a religião dos deuses antigos de Roma (Júpiter, Netuno, Vênus, Urano etc.), em oposição ao deus Jeová judaico e  Deus e Cristo dos primeiros católicos.
Por aí já vimos que quem fundou e ocupou Jerusalém por séculos foram os judeus. Os cristãos só formalizaram uma ocupação da área com Constantino, três séculos depois de Cristo e mais de 1.000 anos depois do rei judeu Davi.
Os muçulmanos foram os últimos a chegar em Jerusalém, no século VII depois de Cristo, até porque sua religião não existia até 622 d.C., ano em que Maomé teria decretado como o início da Era Islâmica, a partir de quando se conta o ano 1 do calendário muçulmano, isto é, quase 1.600 anos depois dos reis judeus Davi e seu filho Salomão.
Agora vem a parte mais irônica (engraçada mesmo) da História com H maiúsculo: os povos que permitiram a volta dos judeus a Jerusalém foram, justamente, aqueles que fundaram a religião de Maomé, o Islamismo e seu deus Alá, O Misericordioso. É isso mesmo: os muçulmanos permitiram aos judeus voltarem a Jerusalém depois da proibição romano-bizantina que durou séculos.
Depois veio o tempo das Cruzadas, quando reis católicos da Europa Medieval tentaram recuperar Jerusalém das mãos dos muçulmanos. E, neste período, os católicos cristãos cortaram a cabeça de muitos islamitas, como os islamitas hoje em dia fazem com os cristãos. Cruzados cristãos e ocupantes maometanos de Jerusalém promoveram carnificinas muito piores do que as romanas ou do que as das guerras recentes.
E o “povo palestino”? É uma invenção da Guerra Fria entre Estados Unidos (apoiando Israel) e a então União Soviética (hoje Rússia, apoiando os países árabes). Não existem egípcios, marroquinos, sírios, jordanianos, iraquianos, libaneses, líbios, yemenitas, omanitas, argelinos, tunisianos, sauditas ou palestinos. Todos os povos que vão do Marrocos até o Iraque são árabes, divididos por questão de conveniência imperialista entre Inglaterra e França, os dois grandes impérios do final do século XIX (anos 1800) e meados do século XX (anos 1900). Rússia e EUA apenas tomaram o lugar daquelas duas potências e dividem os árabes para melhor dominá-los e, claro, ao seu petróleo.
O que os ativistas islâmicos hoje em dia chamam de “povo palestino”, na verdade são os árabes jordanianos que moravam na Cisjordânia de 1948 a 1967, e os árabes egípcios, que moravam na Faixa de Gaza durante o mesmo período. Depois que sete nações árabes se uniram para invadir Israel e destruir o recém declarado Estado Judeu, em 1948, e depois da guerra de 1956 na região do Canal de Suez (Egito), os árabes perderam militarmente e aí começou a guerra política e diplomática e fundou-se, no início dos anos 1960, a Organização para a Libertação da Palestina (OLP), usando, justamente, o nome que também o imperador Adriano de Roma usou, só para fustigar os judeus: “palestinos”, uma criação de marketing muito inteligente, mas sem nenhum significado histórico, étnico ou cultural que seja. O intuito é apenas pirraçar os judeus, pois palestinos são apenas jordanianos e egípcios e todos não passam de árabes, uma única nação que vai do Marrocos ao Iraque. Palestino é uma jogada política para ganhar uma guerra que foi perdida pelos árabes nos campos de batalha.

RESUMO DA ÓPERA

Jerusalém é, historicamente, a capital não de todos, mas da maioria dos judeus, desde quase mil anos antes de Cristo. E com exceção de alguns séculos em que o Império Romano e o Império Bizantino mantiveram os judeus afastados, à força, de Jerusalém, a cidade sempre foi habitada pelas diversas tribos judaicas.
Já Donald Trump é o presidente dos EUA mais controvertido e com idéias mais reprováveis de todos os tempos, mas está fazendo a primeira coisa certa do seu mandato inútil até agora: está consertando maldades históricas de várias nações contra o povo judeu e devolvendo aos judeus sua capital histórica. Só isso. Podem jogar pedra nesta Geni chamada Trump, mas não por reconhecer Jerusalém pelo que ela realmente sempre foi, a capital da maioria das tribos judaicas.





O terrorismo do Brasil


Dinamite à vontade e armas poderosas 

Diariamente bandidos muito mais bem armados que a polícia aterrorizam a população brasileira explodindo bancos.
Nada se faz de sério para combater esse terror.
Enquanto isso, em Brasília, a politicalha continua chafurdando na lama podre, matando de inveja os suínos de verdade.
E temos uma mídia que, na sua esmagadora maioria, posa de "imparcial" e "defensora dos oprimidos", finge acreditar que estamos sendo governados, legislados e julgados por gente séria. Tragicômico.

Ainda a vergonha


Insisto no caso Katia Vargas, que agride a inteligência. 

Nem a defesa da médica pediu absolvição. Reconheceu imprudência e pediu condenação por homicídio culposo. E ela mudou de versão três vezes!
 Só no Brasil! Só na Bahia!
Em tempo: há cerca de 15 dias um policial matou a tiros, friamente, um  motociclista no bairro de Castelo Branco, em Salvador. Esperávamos aí?
Mais: esse papo furado, cristão, de que a médica "vai pagar com sua consciência, sofrendo pelo resto da vida" é conversa fiada. Quem vai sofrer mesmo é a mãe, o padrasto e demais parentes que perderam para sempre seus entes queridos, no auge da juventude.
Mas será daí para pior. A população brasileira, notadamente motoristas e mesmo motociclistas, está cada vez mais selvagem. Vale tudo. A vida humana virou lixo. E os poderosos, pelo visto, vencem até tribunais...

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Temporada de caça


O perdão a Katia sela destino dos motociclistas 

No último sábado, um grande amigo meu foi literal e propositadamente atropelado por um taxista troglodita quando chegava em casa com sua moto. Por sorte não morreu, embora ficasse ferido. Mas a moto foi destruída e, claro, o taxista covarde, que invadiu o sinal, fugiu.
Nesta quarta-feira acompanhamos o julgamento da médica Katia Vargas, responsável pelas mortes de dois jovens irmãos em outubro de 2013, no bairro de Ondina, em Salvador. Esperávamos um resultado justo e civilizado. Mas ela foi...INOCENTADA!
Indignação total, diante do crime bárbaro.
E olha que nem a defesa de Katia pediu absolvição! Pediu apenas que mudasse para homicídio culposo. 
Uma vergonha para a Justiça baiana, como disse o promotor.
Havia provas contundentes mostrando o carro da médica colidindo com a moto dos irmãos mortos.
Os parentes das vítimas, principalmente a mãe, que perdeu seus dois únicos filhos, saíram revoltados com a injustiça que lhes atingiu. Não entendo de tramitação jurídica, mas a decência deveria determinar investigação desses jurados, cuja atitude, repito, não só indignou como deixou perplexa a promotoria.
Num país sério seria cadeia. Mas nesta droga em que vivemos, não. Motoristas selvagens, a grande maioria, se sentem agora livres para perseguir e matar motociclistas.
Mas é isso. Vivemos no fim do mundo. Num "país" onde SEMPRE vence a injustiça e a corrupção.

O que me espanta


E façamos de conta que não houve nada 

Não vou perder tempo aqui comentando os "últimos" acontecimentos da PODRIDÃO política desta imitação de país. 
Mas é espantoso ver que a grande mídia e os políticos, claro, continuam se fingindo de mortos.
Pelo visto nada aconteceu, ninguém é ladrão descarado. Nada.
E vamos nós, lá eles, votar para reconfirmar essa gangue no poder. É preciso ser muito idiota ou comprometido  (quero dizer,  ganhando dinheiro ou cargos) para avalizar essa droga lá.  Mas é exatamente o que vai ocorrer. Brasil, inviável.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Assim é fogo!


É preciso mais que um caminhão de bombeiros.

Logo se apressaram, inclusive colunistas e comentaristas de "destaque" a tachar o bombeiro desesperado de Brasília como "doido" . Ora, certo ou não, ele tentou fazer o que milhões de brasileiros pensam em fazer.
Estamos saturados e só imbecis ou comprometidos não percebemos.  Lembrem-se da Revolução Francesa e das cabeças reais que rolaram. Esta é a real. 
Governantes e parlamentares brasileiros estão vivendo em outro mundo e o povo não é besta. Aí,  aí...

Falta de inteligência


Obtusos insistem em "discutir" uma "realidade" esotérica. 

Vejo os jornais de TV,  Internet e impressos e me convenço que vivemos numa suposta nação, só que inflada de idiotas.
Continuam levando a sério gente como Temer, FHC, Alckmin, Doria, Gleise Hoffman e tantos outros, com o aval surreal de sujeitos do tipo Gilmar Mendes. Kkkkkk. Idiotas!

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Alienação absoluta


Em pleno Brasil de hoje,  
principais jornais 
falam de Copa
É o caos intelectual desta imitação de país. Com tudo que rola em termos de agressão aos direitos do trabalhador, ao caos do empobrecimento cada vez maior da população e do jogo cínico e explicito da troca de favores no poder central, os três maiores jornais brasileiros dedicam manchetes ao provavelmente subornado sorteio de grupos da Copa.  Fala sério!

Sanha assassinato


Descalabro do chupa cabras no trânsito de Salvador 

A capital baiana certamente tem um dos piores ordenamento de trânsito do País. E todas as queixas e denúncias que vêm sendo feitas desde o primeiro mandato da atual administração municipal são solenemente ignoradas.
O órgão de trânsito não faz  NADA para educar e disciplinar o trânsito, inclusive e principalmente nos horários de pico. A Transalvador só trabalha para multar, engordando os insaciáveis cofres da prefeitura.
Para isso, enche a cidade de armadilhas que acabam colocando em risco até mesmo a vida dos motoristas. O exemplo mais recente está em Stella Maris, onde a velocidade numa pista livre e deserta foi drasticamente reduzida para 40 km/h. Resultado: o local, deserto e já palco de assaltos, virou uma armadilha para as pessoas que dirigem por ali todo dia, já que milhares moram lá e trabalham no Centro de Salvador.
Urge que o prefeito determine ao sr. Fabrizio Muller, desastrado chefe da Transalvador, que reveja IMEDIATAMENTE a medida. Do contrário, o prefeito corre o risco de perder milhares de votos.
Vejam foto e áudio com a denúncia.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Povo torturado

Fila para ser obrigado a votar em canalhas 

Indecentes as filas para o tal cadastramento biométrico no TRE e postos outros. Tudo para ser OBRIGADO a exercer o "direito" do voto e eleger gente que só quer roubar.
Em outra parte da cidade, fila cruel,  desde a meia-noite, no Hospital Irmã Dulce. Centenas de pobres coitados, também obrigados a votar, em busca de tratamento. Dantesco, real, Brasil inviável.

Todos mudos


CUT demite e UNE desaparece de vez

Além de não fazer qualquer mobilização de rua contra o caos em que está o trabalhador, agora acuado e indefeso diante de uma reforma que só beneficiou os patrões, a CUT agora está, ela própria, demitindo seus funcionários!

E por falar em entidades que fingem defender segmentos mas agem somente em busca de poder político e muito dinheiro, a União Nacional dos Estudantes (a outrora aguerrida e vigilante UNE), também silenciou. É o fim da picada.

Tucanos hipócritas


Estão cuspindo no prato em que se locupletaram.

O PSDB de Alckmin está "revoltado" com o governo Temer e quer sair. Embora seja redundante chamar políticos de hipócritas, a verdade é que os tucanos estão chutando cachorro morto.
Depois de sugarem tudo das telas do governo, querem agora tentar recuperar a credibilidade com vistas às eleições de 2018.
Ora, será que eles e todos os outros políticos ainda não perceberam que ninguém mais acredita neles?